“Acredite em si em primeiro lugar”, relata o cantor Davi Bandeira

 





Davi Bandeira, compositor e cantor, contou sobre sua carreira, sonhos, e o lançamento da nova música “Praga”, presente no novo álbum do artista.


Fui convidada a entrevistar o Davi Bandeira, cantor pop. Achei bem legal o convite e me preparei para a entrevista. Confesso que estava um pouco nervosa e sem jeito – mesmo fazendo isso várias vezes -.

O bate papo foi bem descontraído, Davi Bandeira abriu o coração para falar da sua carreira, início de projeto e o futuro que espera. “Normalmente as pessoas falam, comecei com tio, comecei com um pai. Eu não tinha esse tio em casa, que era artístico. Eu tinha um desejo muito grande”, brincou o cantor.

Davi estava muito alegre e sempre simpático. Foi ainda criança que se apaixonou pela arte, através dos desenhos e aulas de teatro. A música chegou na adolescência, ele descobriu junto aos amigos de escola. “A música veio realmente entrar na adolescência, que fui descobrindo com meus amigos, de forma muito natural, até de brincadeira mesmo, de como fazer música.  Foi mais ou menos nesse período que fui tento a certeza do que queria para a minha vida”.

Apaixonado pela música, Davi usa o piano e violão apenas para compor e colocar as palavras para fora e expressar pensamentos, ações e emoções. Contudo, o cantor possui uma excelente equipe que o ajuda nas composições. 

“Todas as músicas são composições minhas, com participações de outros colegas. Geralmente tenho parceiros mais fixos, que é o Danilo e o Enzo. Tenho um querido aqui, chamado Aris, que me presenteou com duas músicas esse ano, que é “Eu vou chorar dançando”, nosso último single e o nosso novo single, que é “Praga”, composição e parceria com ele”.

 

Família

Durante a conversa, o artista demonstrou, além da paixão pela música, mas também uma grande fé e gratidão pelo apoio que sempre recebeu de seus pais, o que para ele é fundamental na construção de seus sonhos. Enquanto falava, era visível em seu olhar, além do brilho, mas a alegria por saber que fazia o certo.

“Meus pais me apoiaram muito. Sou muito grato por todo carinho que eles me dão, que acho que é essencial, para ser muito honesto, sabe. O meio artístico, ainda mais quando a gente está começando, ele é muito incerto, apesar do sonho, do desejo muito grande, você não sabe onde as coisas vão chegar, o que vai acontecer. Sentir o apoio deles, sentir que eles têm orgulho, que gostam de ver. Nossa, meus pais acompanham muito, e isso é muito bom”.

Entretanto, mesmo com toda a garra e apoio, o cantor teve algumas inseguranças ao longo da carreira, mas, nunca o impediu de correr atrás de seus desejos. Davi demonstrou ser muito confiante em seus sonhos e tem a certeza do que quer seguir para a vida.

“Sim, acho que teve muita insegurança. Quando realmente comecei e pensei é isso que quero fazer, quero estar no palco, quero cantar, bateu a certeza: eu vou fazer isso dá certo, nem que seja a última coisa que eu faça da minha vida. No meio do caminho dava um pouco de insegurança, você fica tentando entender o caminho que te levaram até lá, mas em relação a mim mesmo, não tenho dúvida e cada dia que passa eu sei, é minha meta de vida”.

 

Pop Nacional

O gênero musical, inspirado nos Estados Unidos, teve uma mudança no Brasil a partir dos anos 80 e 90, quando grandes artistas começaram a incorporar o estilo em suas músicas, como por exemplo a banda Blitz. Com o passar dos anos, o gênero dançante passou a fazer parte de demais gêneros, como rock, MPB, funk, sertanejo, entre outros.

Dessa forma, Davi, que já ouvia grandes artistas como Michel Jackson e Madonna, também se apaixonou pelo pop, fazendo dele sua carreira. Contudo, o compositor é natural do Ceará, a terra do forró – ritmo que também sempre fora apaixonado -, com isso, o desafio passou ser maior.

Perguntei ao cantor, como foi no início, de onde veio a vontade de fazer pop e como sua música foi recebida na terra natal. Com muito entusiasmo, logo disse que mesmo com todos os desafios, era Deus que o guiava, então sabia que estava no caminho certo.

“Sabe que isso é um desafio, sendo muito sincero, porque eu adoro o forró, está na minha raiz, é onde eu cresci e eu ouço muito forró, só que eu também sempre ouvi muita música pop e eu queria explorar as coisas. Então, o pop entrou na minha vida partindo dessa ideia, explorar coisas, explorar gênero, melodias, coisas diferentes. Eu acho que comecei pelo caminho inverso, porque fazer música pop, vindo do Ceará, que a terra do forró, é meio maluco, sabe, mas eu gosto sim, foram minhas referências desde criança. Eu não sei te explicar teoricamente de onde vem, só sei que Deus colocou no meu coração e disse é tua missão, é isso que você tem que fazer e eu estou fazendo”.

Durante a conversa, estávamos bem à vontade, como se já nos conhecêssemos a anos, falei inclusive que o entendia, pois, essa mesma vontade estava em mim, quando o assunto era jornalismo. Ele estava sempre sorrindo, disse que até se perguntava de onde vinha essa vontade, mas que sabia que era algo de cima, algo divino. “Eu só agradeço e estou na missão”.

Já sobre o recebimento da música, no início estranharam um pouco, mas o cantor continuou inserindo no meio, até que eles realmente entendessem que por mais que gostasse do forró, não era o que queria.

“Teve total estranheza, eu demorei muito tempo para as pessoas começarem a me verem como artista, pois como eu estava fazendo algo diferente da realidade local, as pessoas olhavam muito estranho, achavam que eu estava querendo fazer algo grande demais, rolou uma estranheza. Quando comecei, rolou convites para participar de bandas de forró, que é algo muito comum no Nordeste, e eu, com muito respeito, falei que não era o caminho que queria seguir. Adoro forró, ouço, vou para shows, mas não é o caminho que quero para minha carreira. Gosto muito de escrever, gosto muito de explorar estética visual. Então, não era o caminho que eu queria traçar como artista. E aí, todo mundo ficava assim: ‘Meu Deus, onde é que esse menino pensa que vai?’. Rolava muito disso, mas, foi um desafio que eu fico até orgulhoso, porque eu sinto que consegui vencer. Foi uma construção que me deixou muito orgulhoso, de poder mostrar para as pessoas que independentemente de onde você esteja, é capaz realmente de fazer o que você acredita, o que você quer. É um desafio, não vou mentir, mas acho que você tem que ser honesto com você mesmo, em primeiro lugar”.

Respeito. Davi sempre teve respeito com todas as pessoas, mas principalmente consigo mesmo. Respeitou seus sonhos, suas dúvidas e dificuldades e hoje, respeita sua carreira e suas conquistas. “Eu acho que se você não se respeita, não acredita nas coisas que você quer fazer, as pessoas não irão acreditar. Você tem que acreditar em primeiro lugar e aí o resto irá vim, eu penso assim”.

Atualmente o artista está morando em São Paulo, realizando seus trabalhos. Mesmo sendo “uma cria do Nordeste”, Davi está aproveitando o novo lugar. “Eu sinto falta, estou sempre indo e voltando, mas também adoro São Paulo e estou aqui por conta do trabalho”.

 

Praga

Após ouvir um pouco de sua história, começamos a falar do novo álbum e logo, já percebi uma nova animação, era como se fosse um filho crescendo e o pai orgulhoso de ver. A nova música chega a todas as plataformas digitais nesta quinta-feira, 11, com o clipe disponível no Youtube.

Para o artista o novo álbum é muito importante e que não vê a hora dela está disponível a todos. A nova música, foi um presente recebido de um grande amigo e logo, já se apaixonou.

 “Praga, eu recebi ela, recebi uma demo do Aris. Geralmente eu sou a pessoa que começa a escrever a música, com Praga foi diferente, esse meu amigo me apresentou e eu falei: ‘Meu Deus, como assim? Não é possível, é tudo o que eu quero dizer nesse momento’. Eu compus em cima também, a gente criou melodia, criou arranjos. É uma música muito top, é uma música que mistura os elementos da música pop, com pop rock também e ao mesmo tempo ela é vibrante, é dançante, ela é muito para cima. E vem falando das coisas que basicamente está na temática do meu álbum, sobre quebrar a cara e ao mesmo tempo seguir a vida. Estou muito ansioso para colocar essa música no mundo”.

Enquanto ao clipe, é dirigido por Davi em parceria com Rodrigo Frota, ganhador de diversos prêmios dentro do cinema nacional. “O clipe, fomos brincar com essa ideia da praga. Pesquisamos, a capa faz referência a época da peste negra, então a gente ‘brincou’ com essas coisas. As pessoas vão dançar comigo, como se estivessem enfeitiçadas. Tem toda uma brincadeira mística com essa simbologia de praga, é bem legal”.

 

O Álbum

“Praga” faz parte do novo álbum do cantor que será lançado em novembro. Seus primeiros singles, lançados em 2022, já contam com mais de meio milhão de streams apenas no Spotify, segundo a assessoria de imprensa do cantor.

“O álbum ele é intenso, ele passeia, tem músicas que são mais dançantes, mas tem músicas muito pessoais, tem músicas mais calmas, uma que se chama ‘19’, que é uma música linda, é no piano. Como é um álbum que é muito importante para mim, eu passei muito tempo fazendo ele na pandemia, naquele momento você não sabe o que vai acontecer da vida, eu pensei: ‘Se eu fosse fazer um último e único álbum da minha vida, o que eu faria?’. Então, coloquei todo meu coração no projeto. Tem momentos que a gente quer ficar mais ali deitado, ouvindo uma música, então tem esse tipo de música também”.

Durante a conversa, voltamos a falar do Nordeste, é visível em seu olhar como ele ama sua história. Brinquei um pouco, falei que meus pais são pernambucanos. Ele sorriu, disse que éramos vizinhos e lembrou de uma das músicas do álbum, em parceria com um cantor pernambucano. “No álbum tem uma música com um cantor Pernambucano, chamado Romero Ferro, nós fizemos uma música linda. Eu acho que cada vez mais a música nordestina está mostrando as suas vertentes, porque as pessoas não imaginam, por exemplo, que no Nordeste tem cantor de música pop, e tem. Acho que é múltiplo”.

O álbum é composto por 11 músicas, que segundo Davi, tem para todos os momentos, inclusive para enviar aquela indireta ao ex., mas, caso queira dançar, pensar na vida, se apaixonar, o novo álbum também foi feito para você.

Logo depois, perguntou sobre a estreia de “Praga” e como estava o coração. Davi respondeu que a música principal do álbum veio para animar e o encher de orgulho.

“Dia 11 a estreia, estou muito animado, muito ansioso. Eu estou feliz, me sentindo realizado. É um trabalho que viemos construindo bem de formiguinha mesmo, aos poucos as pessoas estão conhecendo e estou animado. Esse meio que é o single principal do álbum, depois dele, basicamente é o álbum que sai”.

Como a nova música é dançante, perguntei se ele também gostava de coreografar. Logo, já deu risada, balançando a cabeça e sinalizando que não, que para isso, tinha uma excelente equipe.

“Eu gosto de saber meus limites. Eu tenho uma galera que trabalham juntos e que fazem. A coreografia de Prada, por exemplo, foi da Joyce e a direção coreográfica foi do Iago e é uma galera que mandou muito bem, arrasaram. Eu adoro dançar, gosto muito, mas assim, os meninos mandaram muito bem. Demais”.

Davi também brincou, disse estar se esforçando na dança, que todos terão a oportunidade de verem dançando no clipe, além de ter até mesmo, coreografia para o Tik Tok.

 

O Trabalho

Diante de toda sua carreira, ganhando prêmios e com músicas tocadas em programas de TV, Davi acredita que este novo trabalho reflete onde ele quer chegar como artista, sendo fruto de um trabalho duro, que garante, que os fãs irão gostar.

“Eu acho que é resultado de muito trabalho, muito esforço, e inclusive eu gosto de falar isso, para as pessoas que tem sonhos, as vezes parece muito difícil, mas você tem que acreditar primeiro no que você quer e trabalhar e buscar mesmo, por mais difícil, por mais inalcançável que pareça. Então, as vezes quando as pessoas falam ‘Ah, você já tocou em novela, já tocou em filme’, aí cai um pouco a ficha, dá um orgulho. Porque, naturalmente eu fico muito focado no que vai vim depois, eu fico buscando, buscando, aí quando alguém me fala, é até bom, para eu dar uma respirada. As vezes a gente fica tão ansioso, querendo trabalhar, querendo fazer, que quando percebe e ver uma trajetória, é bem legal”.

 

Sonhos 

O artista já possui uma grande carreira e gosta muito do que faz. Dessa forma, ainda possui muitos objetivos para construir, um deles é a parceria musical com grandes artistas como Luísa Sonza e Gloria Groove.

“Artistas que estão no topo do meu sonho, como Luiza Sonza, Gloria Groove e até a Anitta. Nossa, tenho muita vontade, tem a galera do romântico, que sou apaixonado, tipo Luan Santana, meu sonho é cantar com o Luan. E é isso, espero um dia poder realizar esse meu sonho e trabalhando para que as coisas aconteçam mais. Deus sabe o tempo de cada coisa, acredito que Ele vai permitir que sim”.

Dessa forma, como estávamos falando de grandes sonhos, também perguntei sobre os festivais e suas vontades. Davi respondeu que fica pensando sim nisso, como participar do Rock in Rio e Lollapalooza. Além disso, o cantor já participou do Pop Pride, evento que aconteceu este ano em Curitiba.

“Esse ano tive a chance de cantar em alguns festivais menores, mas tão incríveis quanto, tipo o Pop Pride, em Curitiba, inclusive com a Gloria Groove, que me acolheu muito bem, me deu vários conselhos e foi incrível, um público muito grande. Eu estou no início de carreira, meus shows são menores, em teatros pequenos e de repente você sobe em um palco, com 10 mil pessoas, para mim já foi surreal, imagina subir em um palco com 100 mil pessoas no festival, deve ser uma energia sem explicação. Mas, pelo amor de Deus, eu espero ter a chance de sentir isso nessa vida, espero muito por sinal”.

Durante toda nossa conversa, Davi falou várias vezes sobre Deus, sobre a fé e nunca parar de sonhar. “O primeiro passo é sonhar, é ter um objetivo a realizar, aí corre atrás, entrega nas mãos de Deus e se for para ser, vai ser, eu acredito muito, tenho muita fé”.

Como neste momento, nossa conversa era sobre os sonhos, pedi para que ele se olhasse um pouco, olhasse para sua carreira e imaginasse daqui alguns anos, como gostaria de estar. Claro, como um bom artista, ele respondeu que gostaria de rodar o mundo com sua música.

“Eu gostaria de ter conquistado um público fiel, que me acompanha, que eu pudesse estar sempre apresentando meu trabalho, ter um público para consumir. Quero ter feito muitos shows pelo Brasil, que acho que é a parte que mais amo, que mais gosto, quero ter rodado esse país e quero lançar vários álbuns, se Deus quiser. Eu sempre via artistas que eu gosto, tipo Michel Jackson fazendo turnê, a Madonna, e eu ficava pensando como legal deve ser, você entrar em turnê que demoram muito tempo, tipo, vai no ônibus ali, deve ser muito legal, eu quero viver essa experiência, deve ser muito gostoso. E é aquilo que a gente falou, se Deus colocou tão forte no coração, é porque alguma coisa vai acontecer”.

Infelizmente, nossa conversa chegou ao final, Davi disse o quanto era bom ver algo que gosta virando sua profissão, que “pirava” nisso, ficando horas pensando e criando. Por fim, o artista disse para que todos aqueles que também possuem algum sonho - independente da área profissional -, seguir esse desejo e se esforçar muito para conquistar. “Não deixar de sonhar nunca”, finalizou com alegria.

*Matéria original publicada no site da Revista Dnews pela Jornalista Eliana Ferreira. Acesse o site clicando aqui.*

Nenhum comentário: