O preparo e o consumo dos alimentos na prevenção e no tratamento do câncer






Estas são as causas primárias para o controle da doença. Algo que está ao alcance da maioria das pessoas, mas não é praticado, pela falta de informação nutricional. São dicas básicas, fáceis de seguir e acessíveis para todos os bolsos.


Ainda não existe vacina para o câncer. Mas a maneira que preparamos e consumimos os alimentos são fatores determinantes para prevenir alguns tipos de câncer ou para causá-los, para otimizar ou para dificultar o tratamento desta doença secular que desafia a medicina. Uma dieta nutricional oncológica e preventiva, bem orientada com medidas simples e acessíveis, pode ajudar muito no tratamento da doença e na sua prevenção. E quem cuida disso, orientando os pacientes já em tratamento e as pessoas que acreditam que o alimento pode contribuir para a prevenção da doença? O nutricionista oncológico. 


Na Bahia, a nutricionista Daniela Gesteira, especialista em nutrição oncológica e preventiva para doenças crônicas, tem dedicado sua missão profissional a ajudar pessoas em tratamento de câncer e a alertar à população quanto à possibilidade da prevenção da doença com a prática de uma alimentação preparada de maneira correta. “Sim, é possível prevenir o câncer e contribuir para bons resultados do tratamento da doença, com uma dieta orientada com estes objetivos. Não tenho dúvidas do poder benéfico dos alimentos, antes, durante e depois do tratamento do câncer! E lembramos que a Nutrição Preventiva funciona para todas as doenças crônicas” – afirma Daniela Gesteira.


ONCOLOGIA NUTRICIONAL

A Oncologia Nutricional é uma área nova, no campo da saúde. Na década de 50, há registros de estudos americanos sobre a regressão de um câncer de cérebro, de um paciente que estava seguindo uma dieta específica. E hoje, já está comprovado cientificamente que a alimentação pode, sim, interferir positivamente no tratamento de alguns casos. E comprovado, também, que há alimentos cancerígenos. Os estudos nutricionais oncológicos seguem avançando. Mas não tão rápido quanto o aumento do número de casos da doença no mundo. “Infelizmente, a previsão da OMS é de que até o ano de 2030, 26,6 milhões de novos casos de câncer vão surgir na população mundial. Este é um número que podemos equiparar a um total de 300 estádios de futebol do tamanho do Maracanã, lotados como em uma final de Copa do Mundo, com pacientes oncológicos” – alerta a nutricionista Daniela Gesteira. É uma informação que choca e assusta. Mas saber que é algo que tem um percentual alto de possibilidade de ser evitado, alivia e anima. Sabe por quê? Porque apenas 3 a 5% dos casos de câncer são hereditários, os demais, originam de hábitos e estilo de vida. Ou seja, somos cerca de 97 a 95% responsáveis pela origem do câncer ou não, em nossos corpos. Então...


MUDAR PARA PREVENIR

Leite e seus derivados - como manteiga e queijos, carne vermelha e embutidos são alimentos indicados na Oncologia Nutricional como fatores de risco para o câncer, se consumidos de forma não equilibrada. Dados da OMS indicam que 74% das pacientes com câncer de mama faziam o consumo destes alimentos com grande frequência.

A nutrição anticâncer não é uma nutrição cara, com itens específicos e de difícil acesso. Ela é acessível às pessoas que têm a oportunidade de se alimentar de forma regular. Porque a nutrição anticâncer é uma educação alimentar. E é este o papel do Nutricionista Oncológico, orientar sobre a escolha, o preparo e o consumo dos alimentos. Ensinar as pessoas as possibilidades de substituir certos tipos de alimentos. 

Pedimos exemplos à Nutri Daniela Gesteira e ela nos deu. “Um exemplo: o frango! Se for grelhado demais, ele cria a casquinha torradinha. Esta casca já cria a acrilamida que é uma substância química cancerígena. O café... tem inúmeros benefícios anticâncer. Mas, quanto mais clara a torra, mais saudável é. O brócolis. É uma verdura inibidora do câncer, mas cozido em altas temperaturas, perde este poder de inibição.” São dicas simples que podem levar à prevenção de uma doença complexa e letal. 


PREPARAR O ORGANISMO PARA A QUIMIOTERAPIA

De acordo com a OMS, entre 30 e 50% dos casos de cânceres podem ser prevenidos, evitando fatores de risco, dentre estes, evitando uma dieta não saudável. A Nutrição deve ser fator primário, na prevenção do câncer. Especialista em Nutrição Oncológica, Daniela Gesteira, além de educar para a prevenção, ela prepara o organismo do paciente para enfrentar a quimioterapia, reverter e amenizar os efeitos colaterais. “Há casos de pacientes que perdem o paladar, que abrem feridas na boca, que ficam desnutridos... Então é preciso preparar este organismo, antes do tratamento, antes que alguns sintomas aconteçam. Fazer um suporte prévio nutricional, para não fragilizar ainda mais o organismo que, também, deve ser acompanhado durante o período do tratamento” – esclarece a nutricionista.

A alimentação tem influência de forma positiva nos resultados do tratamento quimioterápico. O trabalho do Nutricionista Oncológico, em paralelo ao oncologista e toda uma equipe multidisciplinar, desde o início do diagnóstico, é considerado como o ideal de protocolo para o tratamento do câncer. 

A Nutrição Oncológica deve ser utilizada em quatro etapas: de forma preventiva – antes de surgir células neoplásicas no corpo; no diagnóstico imediato do câncer – para preparar o organismo para receber os quimioterápicos; durante o tratamento – para amenizar os efeitos colaterais da quimioterapia; após a cura do câncer – quando a alimentação retoma um estágio preventivo, depois do período de um ano de remissão da doença.

Conversamos com o médico coloproctologista Rodrigo Slaibi, que cuida e realiza cirurgias em inúmeros pacientes com cânceres de intestino grosso, cólon, reto e ânus, sobre a importância do acompanhamento nutricional destes pacientes. Ele nos explicou que a desnutrição é muito frequente nos pacientes oncológicos, podendo ser causada pela menor ingesta de calorias e alterações metabólicas com aumento do consumo pelo próprio tumor. Entre 40 a 80% dos pacientes com câncer enfrentam a desnutrição, de acordo com dados da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica. “Devido a isto, um dos pilares do tratamento ao câncer é a nutrição especializada que melhora a resposta ao tratamento oncológico e qualidade de vida do paciente. Principalmente em pacientes que serão submetidos a procedimentos cirúrgicos, um bom acompanhamento nutricional melhora a resposta cicatricial e imunológica, diminuindo infecções, tempo de internamento, morbidade e mortalidade” – explica Dr Rodrigo Slaibi.


QUANDO O ALIMENTO É O ALIADO DA SAÚDE

A experiência positiva do suporte nutricional oncológico, no tratamento de um câncer de mama, detectado aos 41 anos, foi vivida por Luciana Lobo, carioca, professora de yoga e autora do livro “O que aprendi com minhas células rebeldes?”, lançado em 2020, em meio à pandemia. Ela nos deu o seu relato sobre a importância da nutricionista oncológica, no seu enfrentamento ao câncer.

“O nutricionista especializado em oncologia ele é fundamental para o paciente oncológico que tem uma tendência a ir para o Google e autoprescrever sua dieta, tomando chás dito como milagrosos. Os rins e o fígado de um paciente em tratamento de câncer já estão sobrecarregados e precisam ser preservados. A minha nutricionista oncológica me ajudou muito em todos os sentidos. A dieta oncológica foi essencial para o meu organismo, nesta fase de tantos desequilíbrios. Estou há cinco anos sem quimio e até hoje eu continuo sendo acompanhada por uma nutricionista oncológica. É um profissional fundamental para o paciente de oncologia, inclusive para lidarmos com a fase da manutenção da remissão” – relatou Luciana Lobo.

Ou seja, o alimento pode e deve ser um aliado do corpo saudável ou do corpo adoecido, se consumido de forma correta. Mas atenção, o alimento mal consumido torna-se o maior vilão para a saúde.

“O estilo de vida e os hábitos alimentares estão errados, no mundo contemporâneo. Estamos indo por um caminho da pressa, do imediatismo, do alimento pronto, de consumir o que é mais fácil e não o mais saudável. Há um preço a se pagar por isso. E os casos de câncer seguem aumentando” – comenta Daniela Gesteira, deixando transparecer uma vontade de gritar para o mundo que é preciso se reeducar para se consumir saúde e que isto é possível!



Serviço:

A nutricionista Daniela Gesteira atende de forma presencial, em seu consultório, em Salvador/BA, no Ed Mundo Plaza Empresarial – sala 1410 ou por teleconsulta: 71 99912.0819. E tem convênio com alguns planos de saúde.

Nenhum comentário: